Desbravando a telinha: O fim de O sétimo guardião

MichalPL [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)]

E nessa última sexta-feira (17), chegou ao fim depois de 161 capítulos, a telenovela que iniciou em Outubro de 2018, O sétimo guardião.

Antecedendo

Essa talvez foi uma das poucas novelas que o povo teve conhecimento lá atrás, muito tempos antes dela ser apresentada como substituta da atual. Já em Julho de 2017 ela já era bastante comentada, e uma das apostas na época era da ressuscitação da vilã Nazaré Tedesco, o que seria um grande crossover no mundo das telenovelas. Você pode conferir mais informações, aqui. Entretanto isso acabou não acontecendo, mas nem por isso não tivemos crossover, no lugar tivemos os personagens Ypiranga Pitiguary e Scarleth Mackenzie Pitiguary, que vieram da novela A Indomada.

Os primeiros trailers

A novela Segundo Sol chegava em sua reta final, e com parte do público desagradado do enredo da novela, muitos estavam ansiosos do que estava por chegar. E ai aparece o primeiro trailer da novela e chama atenção do público. Ainda mais porque seria uma das raras novelas das 21h, a primeira talvez do milênio, que teria um enredo um tanto artificial, algo que seria mais comum na faixa das 19h, assim como tivemos Deus salve o rei ou O tempo não para.

Um gato que fascinava

Eu acho que o fato de envolver maldição e transformação, isso pegou o público de surpresa. Porque não é uma coisa que a gente vê todo dia na televisão, com exceção é claro, de alguns episódios de Deus salve o rei, aonde a bruxa conseguia se disfarçar em outras pessoas para andar pelos reinos sem ser reconhecida.

A novela

Eu vou expressar agora parte da minha opinião pessoal, e logo alguns poderão concordar, como discordar. Mas há de se lembrar que faço essas opiniões, não só baseadas no meu ponto de vista, mas também recolho opiniões de colegas das redes sociais, de grupos e assim sucessivamente, para assim montar uma base de opiniões positivas e negativas, claro sempre fazendo críticas construtivas e evitando qualquer crítica destrutiva.

Um grande começo

Os primeiros capítulos da trama foram surpreendentes, além desse fato surreal que eu citei acima, do homem que foi amaldiçoado a viver como gato, uma fonte que tem propriedades rejuvenescedoras, e claro gente gananciosa querendo se aproveitar do fato para lucrar em cima, também prenderam o público na televisão.

O que não fez emplacar totalmente

A novela poderia ter chegado ao nível de Outro lado do paraíso, afinal começou em grande destaque, diferente da mesma que teve sucesso, mas não foi muito bem recebida pelo público em seus primeiros capítulos. Entretanto o problema acontece quando a historia não desencadeia do jeito que o povo esperava.

Vilões covardes

Desculpem-me não é criticando o ator Tony Ramos, que por sinal é um dos meus favoritos. Mas o papel dele como vilão, não foi aquilo que esperávamos. Em Outro lado do paraíso, a vilã Sophia (Marieta Severo), começou agir bem antes de chegarmos ao 100º capítulo, diferente do Olavo que só começou a agir aos 45 do segundo tempo.

O povo queria ação

O que o povo quer é ação, não queria que o Olavo resolvesse invadir de vez o casarão no penúltimo capítulo. Era pra terem feito isso logo que tivessem descobrido a fonte – aquela invasão feita pelas pessoas da cidade não conta direito -, e dessa forma criasse ali um sentimento de segurança para o Olavo, enquanto que a irmandade teria que se refugiar em algum lugar distante ou secreto que tivesse em Serro Azul, pra depois darem uma revira-volta e conseguirem recuperar a fonte e punir os aproveitadores.

Uma revira-volta ao estilo de Clara

Uma coisa que surpreendeu a todos espectadores de O outro lado do paraíso, foi a revira-volta na vida de Clara, que de uma garota simples e humilde, virou uma pessoa rica e vingativa. Essa formula deu certo lá e poderia ter dado aqui. Imagina por exemplo, o Olavo faturando dinheiro com uma grande empresa em Serro Azul, e de repente aparece Gabriel, junto com a Irmandade, e resolvem derrubar o Olavo, mas com a ajuda dos poderes da fonte que todos desconheciam, e a partir dai gerava um grande espetáculo que ai sim traria um grande público e quem sabe superasse a audiência de todas as novelas de Império pra cá.

Revira-voltas fracas e confusas

Uma coisa que atrai o público também como eu disse, são as revira-voltas. É quando um personagem mal vira bom, e o bom vira mal, e assim por diante. Na trama tivemos duas ou três revira-voltas, que não foram lá ruins, mas que também foram fracas ou ficaram confusas, além da falta de mais revira-voltas.

Do mal pro bem, de maneira rápida e desconfiada de Valentina

A Valentina era uma das antagonistas da novela junto com o Olavo. Tanto que foi capaz de virar inimiga do seu próprio filho. Dai de repente com a sequência da novela, com o Olavo cobrando as dívidas, tomando todas as suas propriedades. Ela resolve então ficar boa, pedir abrigo ao seu filho no casarão e a partir dai começa a ajudar ele. É um enredo legal, mas era pra ser mais forte, era pra ela implorar o perdão de seu filho até os últimos capítulos, ela como sempre uma mulher rica, viver em algum lugar mais humilde, ou então tomar a mesma vida que seu ex-amante, o Feliciano, e assim quem sabe tomar as dores dele e sentir o que ele sentiu. Assim como aconteceu com a vilã Sophia, que sempre foi a mandona, mandou a Clara pro hospício, e no final ela acabou terminando a sua vida presa num hospício apenas com a ajuda de sua filha caçula que ela sempre a detestou.

Uma revira-volta estranha da Mirtes

De repente a Mirtes que sempre foi uma mulher ultra-conservadora, que era contra as bruxas, do nada se torna uma bruxa, após a falecida Milu aparecer pra ela e dizer que ela precisava mudar a sua vida. E claro a mudança foi repentina e pegou todos de surpresa. Foi até engraçado no começo, mas o que a gente queria ver mesmo era uma adaptação mais difícil por parte dela, fazendo com que ela não tivesse a mínima vontade de assumir o posto que era de uma das guardiãs. Entretanto sobre forte chantagem, ela seria obrigado a ter que conviver com aquilo, até que um dia ai sim ela se adaptaria e se tornaria uma pessoa melhor.

Do bem pro mal, de Eurico

Outro que também chamou atenção foi o Eurico, que no começo da novela era um dos guardiãs que protegiam a fonte, e com o decorrer da historia começou a ficar obsessivo por dinheiro, e além de se tornar corrupto, traiu a irmandade. Isso também aconteceu em Outro lado do paraíso, quando o Dr. Renato Loureiro, que parecia ser a pessoa ideal de Clara, enquanto que Gael era visto como monstro.  Resolve mostrar as caras, e vira um vilão ideal que mostra sua verdadeira face e em poucos minutos consegue trair a amizade da Clara e surpreende a todos, até o último instante.

Entretanto com o Eurico, a coisa foi bem mais fraca, a sua maior traição, foi ter revelado os segredos da fonte, que embora fosse errado, não era uma “TRAIÇÃO”. O que o povo queria ver, era que no momento que o Olavo fosse invadir o casarão – como eu disse acima – ele que estaria se disfarçando como guardião, aproveitaria pra dar um golpe final e trair os amigos, fazendo com que eles ficassem sem saída, e tivessem que abandonar o casarão.

No final também era pra ter sido brutalmente castigado pela fonte, de uma forma que pegasse o público de surpresa. Além é claro vale ressaltar que o castigo que ele teve na novela, foi mal aplicado, e logo ele acabou se curando do castigo com uma ideia doida da Marilda. que fez ele tomar banho com a água da fonte.

Um Nicolau que não mudou quase nada, ou não aparentou

Outro que também ficou bastante conhecido na telenovela foi o Nicolau, conhecido pelo seu lado preconceituoso, critica o seu filho que preferiu entrar no mundo da dança do que no futebol. E também sempre foi contra que a sua filha lutasse karatê, pois para ele isso não era esporte feminino e ela devia aprender a ser dona da casa para conseguir um marido no futuro. Claro que depois ele muda de ideia por conta dos cifrões, E também sempre foi bruto com a sua ex-esposa, até ela desistir de vez dele e pedir o divórcio.

E sua filha também

Outra que não mudou nada durante os 161 capítulos de O sétimo guardião, foi a Rivalda (agora me pergunto, será que ela recebeu esse nome em homenagem ao Rivaldo?) que sempre foi aliada ao pai, mais preconceituosa do que ele, e sempre infernizou a vida de seus irmãos. Do primeiro ao último capítulo, ela não teve sequer uma revira-volta, talvez a única coisa que compensou, foi o fato da sua irmã ter mudado pra fora e ter conquistado o bronze olímpico, o seu irmão Bebeto ter ido pra São Paulo (que era um sonho dela), e ela ter ficado sozinha junto com as duas irmãs caçulas presa em Serro Azul, mas isso por si só não justifica nada.

Histórias descontinuadas

Houve também diversas histórias que não tiveram um desfecho certo. Um exemplo, é a própria Luz, desde o começo ela sempre aparentou ter dons paranormais, o povo da cidade sempre reconheceu ela como sensitiva. Sem contar que ela reviveu o Gabriel duas vezes na trama uma no princípio, e o segundo quando ele levou um tiro e ficou em coma por vários capítulos. Entretanto nunca foi revelado o porquê dela ter esses poderes e quais que ela poderia usar. Isso teria sido interessante pra ela mesmo defender a irmandade. Outro caso foi o fato dela hipnotizar as pessoas, ela podia ter aplicado mesmo na filha do Olavo, e ter feito com que a mesma acabasse com os planos do seu pai.

Nada sobre as origens do sucessor do Gabriel

Apesar do Feijão ter sido um dos protagonistas na reta final da novela, ele já era lembrado desde o começo da mesma. Ele sempre foi visto como um simples menino de rua, que não sabia nada sobre sua família e que foi abandonado por ali. Porém mesmo depois dele ter tido toda aquela revira-volta, de ter sido adotado pela Judith, ter se tornado o guardião. A história dele continuou uma incógnita. Um exemplo, ao ser revelado que ele tinha marca do gato na costa, ele disse que a mãe dele sempre disse que era uma marca. Em cima disso dava pra contar algum relato do passado dele, que por ventura tinha ligação com a fonte. Como o próprio Feliciano talvez, já que o mesmo também tinha perdido sua fortuna e estava morando na rua.

O passado próspero do Feliciano

Como acabei de terminar no tópico anterior, o Feliciano, que desde o início da novela sempre foi um mendigo, ele era uma pessoa bem de vida no passado, inclusive foi quem ajudou a Valentina a fugir de Serro Azul e viver na capital, aonde que ela conseguiu faturar milhões, e virou uma das maiores empresárias na área dos produtos cosméticos. Só que nunca em nenhum momento falaram sobre o passado dele, nunca falaram o que ele era, o que ele fazia. O que aconteceu com toda fortuna dele, porque até então, em alguns capítulos dava a entender que a Valentina teve envolvimento em tudo isso, mas o que de fato ela fez? Ela o roubou?

Outros casos de coadjuvantes que ficaram pendentes

Não foram só os protagonistas que deixaram uma historia aberta. Muitos coadjuvantes tiveram um desfecho aberto. Como por exemplo, o neto da Mirtes, o Guilherme, apesar dela ter visto na bola de cristal ele como cozinheiro, no final não soubemos o que ele fez pra alcançar o topo, se ele estudou no país ou fora. Já o seu amigo Léo, tinha sonho de trabalhar com cinema, inclusive estava fazendo um documentário para a cidade, ainda mais depois da morte do delegado Machado, quando a viúva Rita, o pediu como último desejo que fizesse um filme sobre a cidade. Filme qual não foi mais mencionado depois de alguns capítulos. A história do filho do prefeito, Geandro também não foi tão comentado quanto do seu irmão que tomou posse como sucessor do seu pai. Nem ele e nem a Lurdes Maria, que parecia estar gravida dele, não foi revelado nada no final.

Os acertos

É claro que fazemos longas críticas, afinal o povo esperava mais da novela. Mas isso não quer dizer que foi um fiasco. A novela teve sim seus pontos bons, ela começou bem, o problema foi no decorrer da trama que ficou um pouco parado, mas como tudo, tem sim um lado que a gente precisa reconhecer.

Uma novela mais surreal

Não que isso seja novidade, uma vez que a Globo já exibiu várias novelas surreais por mundo a fora. Como Vamp, O beijo do vampiro, Deus salve o rei, O tempo não para, novelas cujo qual em certos momentos fugiram da realidade. Porém o que de fato atrai o povo, é o fato dela ter passado no horário das 21h, um local cujo qual as novelas sempre tendem a serem mais realistas. Porque caso contrário era pra ter sido uma novela das 19h, já que as duas últimas foram bem surreais.

Uma fonte mágica e uma irmandade cheia de poderes

Eu acho que por si só, a surrealidade começa na fonte, onde a pessoa entra nela e cura suas feridas, rejuvenesce e muito mais. A irmandade também chama atenção, por conta de seus poderes, por exemplo, como a punição, que transformou o Murilo em gato (Leon), e fez com que o Eurico não tivesse mais desejo por mulheres.  Mas também envolve outros poderes, como por exemplo, o do Murilo que quando gato era capaz de abrir portas, e até a voltar ser humano por pouquíssimo tempo. Além é claro seu poder de “GPS”, pois querendo ou não ele conseguiu encontrar a localização do Gabriel, mesmo ninguém de Serro Azul ter conhecimento da mesma.

Serro Azul em um momento futurístico

Quando o Ypiranga resolve voltar de vez para Serro Azul, ele entra no seu carro, quando muitos pensavam que ele apenas ligaria e sairia andando rumo a Greenvile, aconteceu ao contrário, o carro de repente ficou diferente e começou a voar, mostrando que era um carro voador, coisa que ninguém esperaria ver em uma novela das 21h.

Crossover

Desde o começo já falavam sobre uma possibilidade de ter um crossover nessa novela que seria com a Nazaré Tedesco, personagem de Renata Sorrah, vilã em A senhora do destino. Entretanto isso não aconteceu, mas ao menos tivemos a oportunidade de rever os personagens Scarllet e Ypiranga de A indomada de volta a novela. É claro que talvez parte da geração que acompanhou a novela não se lembrasse dos personagens que vieram de uma novela que foi ao ar em 1998. Mas ainda assim foi bacana, afinal não tem coisa melhor do que um bom crossover. Já tivemos ai em A força do querer, Espelho da vida, e já estamos tendo outros dois em Geração 90. Isso é algo promissor, pois pode incentivar que futuros autores invistam em crossovers, e tentem resgatar personagens clássicos que marcaram nossas vidas. Sejam eles de novelas antigas ou até mesmo de recentes, como por exemplo, vai ser o caso do Beto Falcão que retornará em Geração 90.

Uma cidade nova

Talvez isso não seja tão incomum na televisão, sendo que na sucessora parece também passar em uma cidade fictícia. Mas isso torna legal, porque você cria um ambiente novo que te atiça a curiosidade. Não que quando passem em lugares reais, seja ruim. Pelo contrário, muitas novelas que passam em cidades sejam elas nacionais e internacionais, acabam sendo curiosas. Só que nesse caso, fica mais bacana, pois você cria um cenário diferente daquilo que você poderia imaginar.

Serro Azul

Eu lembro que tive a façanha de procurar aonde ficava a cidade quando saiu o primeiro trailer, porém, acabei me surpreendendo ao saber que se tratava de uma cidade fictícia. E isso é legal porque o autor pode criar um cenário que te surpreenda, temos uma cidade pequena, que é dividida entre conservadores e liberais no costume. Entre os conservadores tinhamos Mirtes, Jurandir, Nicolau, entre outros, e do outro temos os liberais como a Milu, Ondina, entre outros que querem quebrar padrões e preconceitos que ainda existem por ali.

A geografia

Pelo menos no quesito do território surpreendeu do início ao fim, uma cidade que fica em uma serra, coberta por mata, e claro reserva o maior estoque de água do mundo, que seria capaz de abastecer toda a população caso um dia a água viesse a faltar. Também surpreende pelos seus sítios arqueológicos que é descoberto nos últimos capítulos, e isso é claro dá mais importância ao município.

Uma revisão final e a nota

Pra mim O sétimo guardião foi a terceira novela com um tema surreal produzido pela emissora nesses últimos dois anos, isso se contarmos Deus salve o rei e O tempo não para – essa última por tratar de criogenia -, é claro que não levarei em conta O espelho da vida, porque é algo que envolve um quesito mais religioso, então não chega a ser algo surreal.

Pois bem voltando a O sétimo guardião, acredito eu que teve como objetivo do enredo, mostrar a ganância do ser humano, e até onde ele é capaz de ir por dinheiro, veja o caso da Valentina que chegou até a se declarar inimiga do filho.

Ao mesmo tempo também mostrou como o excesso de conservadorismo pode ser ruim na sociedade, como é o caso do Jurandir e o Nicolau que privaram os filhos de serem felizes apenas por não aceitarem uma nova realidade. E também apresentou a hipocrisia de algumas pessoas que se dizem religiosas, mas que no fim acabam fazendo tudo ao contrário daquilo que eles seguem, como foi o caso da dona Mirtes.

No fim, pra mim essa novela foi nota 6. Não mereceu mais 4 pontos, pelos motivos que apresentei acima, mas que simplificando tudo, quero dizer que a novela foi muito parada, e poucas ações tivemos. Entretanto não tiro parte desses seis pontos, porque a novela também não foi de tudo ruim, nós tivemos pontos interessantes, que prenderam o telespectador, e que claro teve um início surpreendente, e isso por si só não tinha como dar uma nota menor.

Curiosidades

Das duas últimas novelas (contando com essa) desse autor, tivemos uma coisa bem curiosa, que foi o fato das personagens Marina Ruy Barbosa e Lilia Cabral terem sido rivais por um tempo. No caso da novela Império, elas eram rivais pois a Lilia, que interpretava a Maria Marta, era esposa do Comendador, enquanto que a Marina, que interpretava a Maria Ísis era a amante do Comendador. Enquanto que no O sétimo guardião é claro, elas foram rivais pois no começo, a Valentina não aceitava o namoro dela com o seu filho Gabriel, o que fez com que virassem inimigas até o momento que teve a revira-volta e ela virou inimiga do Olavo. Tanto é que fizeram as pazes, e ela mesmo pediu para que a Luz ajudasse a cuidar do Gabriel no período que ele estava em coma.

Outra curiosidade também, é que como dissemos mais de uma vez aqui tivemos a presença dos personagens de A indomada, e também Serro Azul ficava próximo a cidade deles, Greenvile. Pois bem nada de errado até aqui, até o ponto que Serro Azul fica no sertão de Minas Gerais, e faz divisa com Greenvile, que na novela de 1998, fica litoral de Pernambuco. Se a Greenvile for realmente de A indomada. Podemos dizer que temos a divisa entre Minas Gerais e Pernambuco*.

Sobre a próxima novela

Pois bem a Dona do Pedaço, para mim até então não vem me trazendo uma certa ansiedade que nem O sétimo guardião trouxe, entretanto assim como faço desde o fim de Fina Estampa, eu vou assistir os primeiros vinte e quatro capítulos, para ai sim eu ter uma opinião formada da novela.

 

*Ambos os estados já fizeram divisas, mas isso foi até o ano de 1824, quando tivemos a Confederação do Equador, cujo qual Pernambuco foi punido com a desligação da Comarca de São Francisco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *